AME Campinas reabre como hospital de campanha exclusivo para Covid-19


Nesta quinta, unidade tem cinco leitos de enfermaria para receber pacientes e outros cinco de UTI serão instalados até sábado. Transferência de pacientes será pela central de regulação do estado. Diretor técnico do AME fala sobre mudanças no hospital para atendimento exclusivo de Covid-19
O Ambulatório Médico de Especialidades (AME) de Campinas (SP) está apto a receber os primeiros pacientes a partir da tarde desta quinta-feira (25), quando volta a ser exclusivo para atendimento de Covid-19. A unidade reabriu com cinco leitos de enfermaria e a expectativa é que tenha outros cinco de UTI no sábado (27). No total, serão instalados mais 20 de UTI de forma gradual até o fim do mês.
As cinco vagas iniciais foram disponibilizadas a partir de meio-dia desta quinta-feira e, até por volta de 13h, nenhum paciente foi transferido. A regulação é feita pelo estado, já que a unidade não atenderá com demanda espontânea.
Para se tornar hospital de campanha, o AME passou a ter 280 funcionários para atendimento de Covid-19 e, segundo o diretor técnico, Pedro Tenório, possui estoque de insumos para funcionar normalmente, sem previsão de que acabem.
AME Campinas preparado para receber pacientes com Covid-19
Jonatan Morel/EPTV
“Atualmente a gente está tranquilo com nossos insumos, a gente sempre está em contato com Secretaria Estadual de Saúde para nos auxiliar no processo de compra, mas até o presente momento temos insumos para os 30 leitos funcionarem”.
Antes, no atendimento das especialidades, a unidade contava com 190 profissionais de saúde. Portanto, houve acréscimo de 90 novos trabalhadores.
Atendimento de especialidades
AME Campinas tem 1° dia como hospital de campanha para pacientes com Covid-19
O AME já havia sido usado exclusivamente para Covid-19 em 2020, mas passou a realizar consultas de especialidades – função para qual foi construído – quando os números de novos registros da doença caíram, em outubro.
Agora, a unidade deixa de atender provisoriamente as 16 áreas médicas para funcionar como um hospital de campanha.
Segundo o diretor, os serviços ambulatoriais, de pós-operatório e exames que o AME realiza ocorreram até dia 19, antes da interrupção para adaptações do prédio. A partir de agora, as demandas serão reagendadas. A unidade registrava média de 5,8 mil consultas e 300 cirurgias por mês.
Abertura gradativa e capacidade
Tenório diz que a abertura de leitos de UTI é gradativa em virtude da necessidade de preparativos.
“Nós adiantamos, estava previsto para dia 29 [AME como hospital de campanha], estão chegando insumos, materiais, os profissionais. É gradual para garantir segurança”, ponderou. Segundo ele, a equipe total do hospital de campanha deve ter cerca de 280 profissionais, incluindo 45 médicos.
Leitos prontos para receber pacientes de Covid-19 no AME Campinas
Jonatan Morel/EPTV
“A equipe foi mantida, tivemos remanejamentos e realizamos novas contratações”, falou sem indicar dados específicos. Questionado sobre a capacidade de expansão do AME, após abertura dos 30 leitos previstos inicialmente, ele alegou que as intermediações são feitas pela Secretaria Estadual da Saúde. “É uma unidade adaptada, é preciso ver se comporta a demanda. Não consigo falar”.
VÍDEOS: últimas notícias sobre a região de Campinas
Initial plugin text
Veja mais notícias da região no G1 Campinas.