Após baixa no estoque, HC da Unicamp compra 15 mil unidades de remédio para intubação


Em fórum realizado na quinta-feira (18), superintendente havia afirmado que unidade só possuía estoque do medicamento por mais seis dias. Novas doses devem chegar a partir de terça (23). Após baixa no estoque, HC da Unicamp compra 15 mil unidades de remédio para intubação
Reprodução/EPTV
Após enfrentar uma baixa no estoque, o Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp, referência no atendimento Covid-19 na região de Campinas (SP), divulgou nesta sexta-feira (19) a compra de 15 mil unidades do relaxante muscular Rocurônio, utilizado na intubação de pacientes.
Segundo a unidade, o medicamento deve começar a ser entregue na terça-feira (23). Durante o fórum virtual da Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas (SMCC), na noite de quinta (18), o superintendente do HC, Antônio Gonçalves de Oliveira Filho, afirmou que a unidade só possuía doses do remédio por mais seis dias.
O hospital destacou ainda que, diante da baixa quantidade de medicamento disponível, houve uma readequação do protocolo de aplicação. Agora, a expectativa é de que o estoque dure de 12 a 14 dias. Já as novas doses adquiridas devem suprir a demanda por mais 35 dias, caso o consumo siga no mesmo ritmo.
‘Cenário assustador’
Com pessoas à espera de leitos e o aumento de casos em progressão “geométrica”, a unidade já discute o cenário de ter de escolher pacientes que serão atendidos, inclusive com análise do “manual de decisões difíceis baseado na escassez de recursos”.
“É a coisa mais angustiante que já vivi como profissional da saúde. Esse cenário é bastante assustador”, disse Antônio Gonçalves de Oliveira Filho.
O Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde havia informado que calcula que as reservas atuais do chamado “kit intubação” durem só 20 dias. Segundo o superintendente, os estoques de Midazolam, usado para sedação, “estão críticos”. Além disso, há dificuldade para comprar de outros insumos, como luvas.
VÍDEO: médicos e autoridades relatam o pior momento da pandemia no Brasil
Profissionais de Saúde na linha de frente e autoridades avaliam pior momento da pandemia
Initial plugin text
Veja mais notícias da região no G1 Campinas.