Após suspensão de 48 horas, HC da Unicamp retoma atendimento de novos pacientes no PS


Unidade de Emergência chegou a operar com 295% da capacidade na terça-feira, mas situação foi normalizada. Suspensão das cirurgias eletivas continua até segunda-feira. Uma das entradas do Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp
Reprodução/EPTV
Após suspender, por 48 horas, o recebimento de novos pacientes no Pronto-socorro (PS) para dar vazão à superlotação, o Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp informou que a situação foi normalizada às 18h desta quinta-feira (3). As cirurgias eletivas continuam suspensas até segunda (7).
Na tarde de terça-feira (1°), quando a suspensão foi comunicada, o PS operava com 295% da capacidade. Eram 62 pacientes internados, sendo 38 com indicação de leitos de enfermarias e cinco que estavam em estado grave e intubados, aguardando leitos de UTI.
Por isso, a unidade comunicou os órgãos reguladores, como a Central Estadual de Regulação de Vagas (Crooss) e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para não encaminhar pacientes ao hospital.
Nesta quinta-feira, a situação foi normalizada, o que permitiu a retomada dos atendimentos, segundo a assessoria de imprensa. Durante tarde, o PS mantinha 31 pacientes, sendo três intubados.
Motivo da suspensão
Na quarta-feira (2), o superintendente do HC, Antônio Gonçalves de Oliveira Filho, afirmou que a suspensão ocorreu por conta do aumento nas internações de pacientes não Covid, ou seja, com outros problemas de saúde, e também de infectados com coronavírus na faixa de 40 a 59 anos.
“A situação foi um afluxo grande de pacientes no PS num cenário de falta de leitos de UTI para Covid, mas o mais grave problema que estamos tendo também são pacientes não Covid. […] O PS é de porta-aberta, 80% do nosso movimento diário é de procura espontânea”, afirmou o superintendente do HC.
Antônio Gonçalves de Oliveira Filho, superintendente do HC da Unicamp
Giuliano Tamura/EPTV
VÍDEOS: Tudo sobre Campinas e região
Veja mais notícias da região no G1 Campinas