Biodiversidade: quando o Brasil vence de 7 a 1


Somos o país da biodiversidade; Título deveria ser celebrado tanto quanto uma vitória na Copa do Mundo. Você sabe o que é biodiversidade?
Arte TG
Talvez você tenha acordado hoje e enquanto tomava coragem para sair da cama ouviu algum passarinho cantar lá fora. Depois de se vestir, possivelmente com alguma camisa de algodão, você deve ter caminhado preguiçosamente até o banheiro e escovado os dentes com água limpa e utilizado alguma pasta de dente com extrato de plantas, como a menta. É possível que você tenha tomado banho (novamente com água limpa) e usado sabonete ou shampoo também feitos com base em alguma planta, talvez babosa ou camomila? Já na cozinha, além do café, na sua mesa do dejejum poderia estar um delicioso pão de fermentação natural, iogurte, mel…
Eu poderia continuar tentando adivinhar como foi o seu dia até você deitar na cama novamente para dormir. Iria acertar algumas coisas e errar outras, mas, independente dos erros e acertos, uma coisa estaria presente na maior parte das atividades do seu dia a dia: a “biodiversidade”. A palavra biodiversidade tem origem no termo “diversidade biológica” e é definida como a variabilidade da vida, incluindo ainda as interações das diferentes formas de vida entre si e também com os ambientes que habitam.
Parece amplo e complexo, não é? E é mesmo, mas se quisermos ser mais diretos podemos dizer que biodiversidade é tudo o que é vivo e tudo o que é produzido pela vida. A “variabilidade da vida”, que é parte importante da definição do termo, não se refere somente a diferentes espécies de animais, plantas, fungos, bactérias e outras formas de vida, mas também a outras escalas de existência da vida. Essas outras escalas correspondem aos genes, as populações formadas pelos indivíduos de uma determinada espécie, as comunidades formadas por diferentes espécies e, até mesmo, ecossistemas inteiros.
Lobo-guará é pouco conhecido e sofre com ameças feitas ao meio; aparição em cédulas de R$200 pode auxiliar nos cuidados com o animal
Luciano Lima/TG
Ou seja, quando falamos em biodiversidade do Cerrado, além de nos referirmos ao lobo-guará, a ararauna, ao ipê-amarelo e todas as outras espécies que habitam esse domínio natural, nos referimos também, as diferenças genéticas entre diferentes indivíduos e populações de lobos-guará e as diferentes populações de lobos-guará em distintas regiões (como o Parque Nacional da Serra do Canastra e o Parque Nacional da Serra do Cipó). Além disso, como já aprendemos, a biodiversidade do Cerrado inclui também as relações entre as suas diferentes espécies entre si e com o ambiente que estão inseridas.
Continuando com o exemplo do lobo-guará, sua relação de predador com espécies como o préa e de dispersor com a lobeira, planta que é um dos principais alimentos do lobo-guará e cujas sementes ele planta por aí na suas fezes, também fazem parte da biodiversidade do Cerrado. Indo além, ao plantar lobeiras, o lobo-guará acaba ajudando também a reter umidade no solo, a fornecer alimento para outras espécies e por ai vai.
Bem-te-vi é uma espécie popularmente conhecida
Ananda Porto/TG
Saindo do Cerrado e voltando para o nosso cotidiano, não apenas o bem-te-vi que você escuta cantando pela janela é biodiversidade. Os princípios ativos vegetais utilizados em cosméticos e medicamentos, a comida no seu prato e a roupa que você veste, que dependem de processos biológicos como polinização e fermentação, e até mesmo água limpa, ar puro e o clima, regulado pelas florestas e pela vida nos oceanos, tudo isso, e muito mais, é, ou está intimamente relacionado, com a biodiversidade.
Muitas vezes pode não parecer óbvio, mas a biodiversidade sustenta a vida e dela depende nossa existência. Não por acaso, a Organização das Nações Unidas instituiu 22 de maio como o Dia Internacional da Biodiversidade. A data, criada em 1993, deveria ser motivo de feriado nacional no Brasil. Afinal, estima-se que entre 15% e 20% de todas, isso mesmo, eu disse todas, as espécies do planeta sejam encontradas em nosso país.
Além de trazer incontáveis benefícios para nossa vida, essa natureza tão pujante confere ao Brasil o título de país da biodiversidade. Por aqui, celebrar o Dia Internacional da Biodiversidade deveria ser como celebrar um título de Copa do Mundo conquistado consecutivamente nos últimos 28 anos e sempre de goleada em cima de qualquer adversário, inclusive da Alemanha. Quer ver? Enquanto o Brasil possui 755 espécies de mamíferos, a Alemanha tem cerca de 100 espécies, ou seja, para cada mamífero encontrada nesse país europeu, nós temos pouco mais do que sete! Isso mesmo, 7×1, mas, dessa vez, pro Brasil.