Campinas tem 1,2% de 'evasão' de 2ª dose da vacina contra Covid-19; infectologista reforça importância da imunização completa


Metrópole totaliza 3,6 mil pessoas que não voltaram após tomar a 1ª dose. Segundo o Executivo, haverá uma reconvocação para encontrar os moradores faltosos. Vacinação contra a Covid-19 em Campinas
Osvaldo Furiatto
A Prefeitura de Campinas (SP) informou que vai fazer uma busca ativa de 3,6 mil pessoas que não retornaram para tomar a segunda dose da vacina contra a Covid-19 na metrópole. O número representa 1,2% dos 293,2 mil imunizados com a primeira dose, segundo balanço obtido pelo G1 com o Executivo.
O governo municipal ainda informou que o índice de “evasão” é um dos “melhores do país” e espera que a reconvocação auxilie a identificar os faltosos. O levantamento corresponde aos dados contabilizados até o dia 27 de maio.
A médica da Unicamp e integrante da Sociedade Brasileira de Infectologia Raquel Stuchi afirmou que o ideal é ter 100% de imunização com a segunda dose, mas a adesão de Campinas é realmente um sinal positivo.
“Principalmente comparando com outros municípios do país é um número muito bom. O trabalho de orientação para aumentar a adesão foi bem sucedido. Às vezes a pessoa não comparece por temer os efeitos adversos ou por ter faltado no dia do agendamento e achar que não pode ir mais. Então, tirar essas dúvidas para que a pessoa possa se vacinar por completo é muito importante”, explicou Raquel.
De acordo com o último boletim de imunização divulgado pela administração, foram aplicadas, até o final de maio, 442.362 imunizantes em Campinas, sendo 293.214 na primeira dose e 149.148 na segunda. O índice de vacinados na cidade corresponde a 86% do total de 513.913 doses de Coronavac e AstraZeneca recebidas pela prefeitura desde janeiro.
Veja abaixo a relação mês a mês de vacinas enviadas à Campinas pelo Ministério da Saúde e o governo estadual. De janeiro a maio, o crescimento da oferta de doses disponibilizadas para o município foi de 200%.
Faixa etária
No dia 21 de maio, um levantamento do G1 mostrou que apenas 39% dos idosos do Brasil foram vacinados com as duas doses. A Prefeitura de Campinas apontou que a razão para ter o índice de falta baixo em comparação com a maior parte do país é o recurso do agendamento, além do fato da pessoa já receber a marcação para tomar a segunda dose no momento da aplicação da primeira, prática que não é adotada em todos os municípios.
Ainda segundo o Executivo, 69% dos vacinados com a segunda dose em Campinas são pessoas acima de 60 anos. O grupo com maior percentual de imunização é da faixa etária de 70 a 74 anos.
Confira na tabela abaixo a relação de pessoas totalmente imunizadas, considerando ainda o público-alvo. No caso dos idosos, os menores índices de vacinação se deve ao fato de parte deste grupo ter recebido a vacina da Astrazeneca, que tem intervalo de até 90 dias entre uma dose e outra.
Segunda dose da vacina contra Covid-19 em Campinas por faixa etária
Covid-19 em Campinas
Campinas confirmou mais 6 mortes por Covid-19 na quarta-feira (2), o que elevou o total para 3.358 desde o início da pandemia. Além disso, o boletim da prefeitura mostra um acréscimo de 549 infectados na cidade, o que fez o número de casos confirmados subir para 102.539.
Em relação à ocupação dos leitos de UTI exclusivos para Covid, o HC da Unicamp está com 100% de ocupação, com as 40 vagas ocupadas. No SUS Municipal, há apenas três leitos disponíveis. O Ambulatório de Especialidades Médicas (AME), administrado pelo estado, também está lotado.
Vacinação contra a Covid no Lar de Idosos de Campinas
Adriano Rosa/Prefeitura de Campinas
VÍDEOS: saiba tudo sobre Campinas e Região
Veja mais notícias da região no G1 Campinas