Campinas tem 42% de isolamento social pela 2ª vez em dias úteis; meta é de pelo menos 50%


Sistema de monitoramento aponta que taxa chegou a 42% nesta quinta, assim como na última terça, mas meta estabelecida pelo estado é de pelo menos 50% para reduzir a transmissão do vírus. Polícia Militar durante toque de recolher nesta quinta-feira em Campinas
Reprodução/EPTV
Campinas (SP) atingiu 42% de taxa de isolamento social nesta quinta-feira (18), primeiro dia em que o toque de recolher começou a valer na metrópole. Os dados do Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI) mostram que a metrópole igualou a melhor marca para um dia útil de 2021, obtido na última terça (16). O índice, entretanto, segue longe da meta estipulada pelo estado de pelo menos 50% para reduzir a transmissão do coronavírus e provocar a queda de casos, internações e mortes por Covid-19.
Para especialistas, o ideal para conter a disseminação do vírus seria que o índice de isolamento atingisse 70%, número jamais obtido durante a pandemia. Além disso, essa taxa precisaria ser registrada por vários dias em sequência para apresentar resultados práticos.
Em Campinas, a taxa de isolamento oscilou durante a semana entre 38% e 42%. O maior índice registrado em 2021 foi em um domingo, dia 7 de março, com 48%.
Toque de recolher
A taxa de 42% de isolamento foi registrada no primeiro dia em que Campinas endureceu ainda mais as regras da quarentena, impondo um toque de recolher a partir das 20h, além de multas e sanções para organizadores de festas clandestinas e reuniões familiares; veja as regras.
Apesar das medidas mais restritivas, a cidade registra o sistema de saúde cada vez mais pressionado. Nesta sexta, o boletim aponta 10 leitos livres para pacientes com Covid-19, sendo nove na rede privada e um no Sistema Único de Saúde (SUS).
Os dados, entretanto, não refletem com clareza a realidade, como bem definiu o secretário de Saúde de Campinas, Lair Zambon. “A taxa de ocupação perto de 100% é uma bobagem. […] claramente todos os hospitais – e eu acho que o privado é a mesma coisa – estão acima de 100% de taxa de ocupação”, disse, em participação no Fórum da Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas, na noite de quinta.
Na ocasião, o prefeito de Campinas, Dário Saadi (Republicanos), informou que havia, só na rede municipal, 163 pacientes à espera de leitos.
DRS-7
A pressão por leitos não ocorre só em Campinas, mas em toda a regional (DRS-7). Nesta sexta, segundo a Fundação Seade, a taxa de ocupação de leitos UTI Covid chegou a 93,9%.
Foram 247 novas internações em um único dia. Na data anterior, o DRS-7 havia registrado o recorde com a inclusão de 340 pacientes com Covid em vagas de UTI e enfermaria.
Regional de Campinas bate recorde de novas internações Covid: ‘O colapso está próximo’
O DRS-7 abrange 42 municípios. São eles:
Águas de Lindóia, Americana, Amparo, Artur Nogueira, Atibaia, Bom Jesus dos Perdões, Bragança Paulista, Cabreúva, Campinas, Campo Limpo Paulista, Cosmópolis, Holambra, Indaiatuba, Itatiba, Itupeva, Jaguariúna, Jarinu, Joanópolis, Jundiaí, Lindóia, Louveira, Monte Alegre do Sul, Monte Mor, Morungaba, Nazaré Paulista, Nova Odessa, Paulínia, Pedra Bela, Pedreira, Pinhalzinho, Piracaia, Santa Bárbara d’Oeste, Santo Antônio de Posse, Serra Negra, Socorro, Sumaré, Tuiuti, Valinhos, Vargem, Várzea Paulista e Vinhedo.
Veja mais notícias da região no G1 Campinas