Com pressão na rede municipal, Campinas reativa 15 leitos de UTI Covid no Hospital Metropolitano


Com retomada das estruturas, total de estruturas de terapia intensiva para pacientes com coronavírus no SUS municipal sobe de 153 para 168 leitos. Até quarta, ocupação geral na cidade era de 93,75%. Foto de junho de 2020 de leitos Hospital Metropolitano contratado pela prefeitura de Campinas (SP)
Fernanda Sunega/Prefeitura de Campinas
A Secretaria de Saúde de Campinas (SP) reativou os 15 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) exclusivos para pacientes com Covid-19 no Hospital Metropolitano, unidade particular que foi encampada pela prefeitura por meio de requisição administrativa.
O hospital chegou a ter nove leitos de UTI em operação em março, mas as estruturas foram transferidas para o Hospital Municipal Dr. Mário Gatti e o Metropolitano ficou apenas com leitos de enfermaria, que acomoda pacientes em quadros menos graves.
Com isso, o Metropolitano possuía nove leitos de UTI habilitados, mas que não estavam em operação por falta da equipe multiprofissional adequada.
Agora, a prefeitura colocou em funcionamento os nove estruturas de UTI e as outras seis ainda seguem em processo de habilitação.
Além das vagas de terapia intensiva reativadas, estão disponíveis 26 estruturas de enfermaria, 10 a mais do que vinha funcionando no local.
Segundo a prefeitura, com a reativação o número de leitos de UTI Covid instalados no SUS Municipal sobe de 153 para 168 – são 55 no Hospital Ouro Verde, 44 no Mário Gatti, 15 no Metropolitano e outros 54 contratados junto a rede conveniada.
Campinas tenta contratar leitos de UTI Covid-19 na rede privada, mas recebe negativas de hospitais diante de aumento em demanda
Em nota, o diretor do Mário Gatti, Carlos Arca, avalia que a abertura das vagas do Metropolitano irá aliviar a pressão que o SUS Municipal tem enfrentado.
Último boletim de ocupação, da quarta-feira (2), aponta que o quadro geral na cidade era de 93,75%. Considerando apenas o SUS Municipal, a cidade tinha três leitos livres, mas exclusivos para grávidas, e 18 pacientes na fila à espera de vaga em UTI Covid.
Veja mais notícias da região no G1 Campinas