Covid-19: com mais 28 mortes e 67 casos, Campinas aponta sistema instável pelo 2º dia seguido


Falha no funcionamento da plataforma do Ministério da Saúde comprometeu as notificações, segundo a prefeitura. Total de vidas perdidas no município chega a 2.226. Teste para diagnóstico da Covid-19
Breno Esaki/Agência Saúde
Com falhas no funcionamento da plataforma do Ministério da Saúde pelo segundo dia consecutivo, Campinas (SP) registrou mais 28 mortes de moradores em decorrência da Covid-19 nesta quinta-feira (25), totalizando 2.226. Após mais 67 registros, o total de casos confirmados chegou a 78.506.
Segundo a prefeitura, o sistema ficou fora do ar por dois dias, o que comprometeu a notificação de dados. Na quarta (24), a instabilidade da plataforma já havia prejudicado os registros de casos e mortes pela doença, levando à divulgação de números inferiores aos reais.
“Se ele [o sistema] fica fora do ar, a gente não tem como saber o que aconteceu. A gente tem um outro sistema, que não é nominal e nos permite ver o número de óbitos nas últimas 24 horas, mas para que isso seja atestado com resultados de exames, a gente precisa do Sivep-Gripe”, explicou Andrea Von Zuben, diretora do Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa).
Os novos casos e mortes contabilizados pelo governo municipal não significam, necessariamente, que ocorreram todos no dia da divulgação, mas sim que foram registrados no sistema nesta data.
Números atualizados pela administração nesta quinta-feira:
Confirmados: 78.506 (67 a mais)
Óbitos: 2.226 (28 a mais)
Idade, sexo, comorbidades: veja o perfil das vítimas em Campinas
Acompanhe no gráfico abaixo o total de casos positivos desde 13 de março de 2020, quando Campinas registrou o primeiro morador infectado, e o acumulado diário com dados da administração.
Mortes
Dentre as vítimas cujas mortes foram contabilizadas nesta quinta-feira há 16 mulheres e 12 homens. Três pacientes não possuíam doenças preexistentes (comorbidades) e seis tinham menos de 60 anos – veja detalhes abaixo.
03/03: Homem, 80 anos, sem comorbidades.
06/03: Homem, 73 anos, com comorbidades.
13/03: Mulher, 88 anos, com comorbidades.
14/03: Mulher, 63 anos, sem comorbidades.
14/03: Homem, 90 anos, sem comorbidades.
15/03: Homem, 67 anos, com comorbidades.
15/03: Homem, 79 anos, com comorbidades.
16/03: Homem, 51 anos, com comorbidades.
16/03: Homem, 85 anos, com comorbidades.
17/03: Homem, 93 anos, com comorbidades.
19/03: Mulher, 65 anos, com comorbidades.
20/03: Mulher, 49 anos, com comorbidades.
21/03: Mulher, 66 anos, com comorbidades.
21/03: Mulher, 78 anos, com comorbidades.
22/03: Mulher, 64 anos, com comorbidades.
22/03: Homem, 70 anos, com comorbidades.
22/03: Mulher, 72 anos, com comorbidades.
22/03: Homem, 76 anos, com comorbidades.
22/03: Homem, 79 anos, com comorbidades.
23/03: Homem, 50 anos, com comorbidades.
23/03: Mulher, 55 anos, com comorbidades.
23/03: Homem, 61 anos, com comorbidades.
23/03: Mulher, 68 anos, com comorbidades.
23/03: Homem, 72 anos, sem comorbidades.
23/03: Mulher, 75 anos, com comorbidades.
24/03: Mulher, 43 anos, com comorbidades.
24/03: Homem, 49 anos, com comorbidades.
24/03: Homem, 80 anos, com comorbidades.
Confira a curva do número de mortes acumuladas por dia do registro do óbito desde o início da pandemia no gráfico abaixo.
VÍDEO: autoridades e médicos comentam pior momento da pandemia
Profissionais de Saúde na linha de frente e autoridades avaliam pior momento da pandemia
Initial plugin text
Busque pelo título do caso
Veja mais notícias da região no G1 Campinas.