Covid-19: Em dia de recorde de mortes, Campinas tem 163 pacientes à espera de leitos


Prefeito de Campinas fez apelo para que a população respeite as medidas de isolamento social para frear o avanço do coronavírus. Leito de UTI em hospital de Campinas ocupado por paciente com Covid-19
Reprodução/TV Globo
No dia em que registrou recorde de mortes por Covid-19 confirmadas em 24 horas, Campinas (SP) atingiu a marca de 163 pacientes à espera de leitos. São 94 pessoas que precisam de vaga em UTI e outras 69 à espera de leitos de enfermaria. A taxa de ocupação de estruturas de terapia intensiva na metrópole chegou a 95,5% nesta quinta-feira (18).
Ao comentar o cenário, o prefeito Dário Saadi (Republicanos) apelou à população para que respeite as medidas de isolamento social para tentar frear o avanço do coronavírus. “A gente implora para que a população nos ajude, evite aglomerações, evite festas, reuniões familiares”, disse.
Segundo o chefe do Executivo, a adoção de um bloqueio total na cidade, o chamado lockdown, ainda segue em avaliação. A questão do transporte público, entretanto, ainda é um empecilho para o uso da medida. “Funcionários da saúde dependem dos ônibus, pessoas que vão se vacinar dependem dos ônibus. Estamos estudando o que fazer. O lockdown clássico é difícil de ser implementado”, disse.
Taxa de ocupação
Campinas conta nesta quinta com 403 leitos de UTI exclusivos para Covid nas redes pública e privada, sendo que 385 estão ocupados, o que representa uma taxa de 95,5%. Dos 18 leitos livres, apenas um é pelo Sistema Único de Saúde (SUS)
Leitos de UTI (Covid-19)
Os leitos estão divididos da seguinte forma, em números absolutos:
SUS municipal: 140 leitos, dos quais 140 estão ocupados (100%). Não há leito livre.
SUS estadual: 40 leitos, dos quais 39 estão ocupados (97,5%). Há 1 leito livre.
Particular: 223 leitos, dos quais 206 estão ocupados (92,4%). Há 17 leitos livres.
VÍDEOS: últimas notícias sobre a região de Campinas
Initial plugin text
Veja mais notícias da região no G1 Campinas