Covid-19: laboratório de Itapira recebe requisição do ministério para entregar medicamentos usados para intubação em UTI


Cristália confirmou que foi acionado e apura quantos itens serão entregues ao governo federal. Ministério informou no dia 17 que fez solicitação de 665,5 mil produtos no Brasil para uso em 15 dias. Aumento de pacientes Covid intubados provoca reflexos nos hospitais
Reprodução/TV Globo
Um laboratório com sede em Itapira (SP) confirmou nesta sexta-feira (19) que recebeu uma requisição administrativa do Ministério da Saúde para entregar medicamentos usados em UTIs para intubação. A medida ocorre após prefeitos e governadores alertarem o governo federal sobre a escassez de produtos diante do aumento na quantidade de pacientes com Covid-19 internados nos hospitais.
A medida do ministério é a mesma que Campinas (SP) usou, por exemplo, para assumir a estrutura de um hospital particular para colocar em operação leitos SUS durante a pandemia. Veja abaixo detalhes.
O Laboratório Cristália, que tem unidades em outras cidades das regiões de Campinas (SP) e Piracicaba (SP), informou que ainda faz um levantamento sobre a quantidade de remédios que serão entregues ao ministério e a data da transferência. Em nota, a assessoria diz que desde o início da pandemia quadruplicou a produção para atender cerca de 4 mil unidades públicas e privadas no Brasil.
“O Cristália reitera seu compromisso de empreender todos os esforços possíveis na produção e fornecimento não apenas dos medicamentos utilizados no tratamento da covid-19, mas também de drogas essenciais a pacientes de outras enfermidades, como câncer e HIV/Aids”, diz nota ao mencionar que ainda mantém compromisso com clientes, comunidade médica e com o país.
FNP pede ‘providências imediatas’ ao presidente diante da falta de oxigênio e medicamentos para intubação na luta contra a Covid
HC da Unicamp tem remédio de intubação para 6 dias e discute sobre ter de escolher pacientes com Covid: ‘Cenário assustador’
O que diz o governo?
O Ministério da Saúde informou na quarta-feira que fez uma requisição administrativa de 665,5 mil medicamentos para intubação durante um período de 15 dias. A assessoria destacou que a requisição não inclui o estoque já contratado previamente pelos estados e municípios junto aos fabricantes.
Na quinta, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que representantes se reuniram com integrantes do setor de hospitais provados e com a Associação Médica Brasileira e anunciou que vai adotar medidas para que os insumos cheguem aos hospitais sem prejuízo para a eficácia, a qualidade e as segurança dos medicamentos. As medidas, porém, não foram detalhadas.
O que é a requisição administrativa?
Secretário-geral da OAB Campinas explica como funciona uma requisição administrativa
‘Colapso está próximo’
O Departamento Regional de Saúde 7 (DRS-7), com sede administrativa em Campinas (SP), registrou um novo recorde de internações em leitos Covid-19 na quinta-feira. Foram 340 em um único dia, alta de 23% em relação ao dia anterior. Com isso, a regional chegou 92,8% das UTIs ocupadas e a médica infectologista da Unicamp Raquel Stucch considerou que “o colapso está próximo”
O Hospital de Clínicas da Unicamp, referência no atendimento Covid-19 na região, tem medicamento para intubação para menos de uma semana. Com pessoas à espera de leitos e o aumento de casos em progressão “geométrica”, a unidade já discute o cenário de ter de escolher pacientes que serão atendidos, inclusive com análise do “manual de decisões difíceis baseado na escassez de recursos”.
VÍDEOS: tudo sobre Campinas e região
Initial plugin text
Veja mais notícias da região no G1 Campinas.