Cursos de licenciatura na Unicamp têm maior aprovação com rede pública e renovam esperança em cursinhos populares


‘Eu penso muito em dar aula futuramente no cursinho popular porque aquilo é inclusão’, diz aprovada em pedagogia na Unicamp no Vestibular 2021. Veja cursos preferidos por alunos de escolas públicas aprovados. Natália e os colegas de cursinho em 2019. Alunos que tinham condições melhores ajudavam financeiramente outros que precisavam.
Arquivo Pessoal
A Unicamp registrou um aumento nas aprovações na primeira chamada de alunos vindos da rede pública de ensino no Vestibular 2021. Estatísticas divulgadas pela Comvest, organizadora do exame, apontam que quatro dos cinco cursos com maior percentual de aprovação entre estudantes do ensino público são licenciaturas. E nesse grupo estão aqueles que mantêm viva a esperança em cursinhos populares.
Unicamp divulga lista de aprovados em 3ª chamada do vestibular 2021; confira nomes
Natália Carneiro, de 18 anos, estudou em escola pública e acaba de ser aprovada em pedagogia na Universidade Estadual de Campinas (SP). Foi aluna do Cursinho Popular Triu, no distrito de Barão Geraldo, e se inspirou no coordenador do curso ao escolher a profissão.
“Eu sentia o envolvimento e o amor dele pela educação. Aquilo foi plantando uma sementinha de mudança em mim”.
Na pandemia, apoio e incentivo do cursinho foram essenciais, mesmo quando precisou voltar a trabalhar para se manter financeiramente. A equipe chegou a levar materiais didáticos para ela em casa.
“Eu penso muito em dar aula futuramente no cursinho popular, porque aquilo é inclusão. Através dele eu vi que poderia acessar a universidade pública, que é para todos, e eu quero mostrar isso para futuros ingressantes.”
Cursos com mais aprovados de escolas públicas na Unicamp 2021
Letras – Licenciatura: 83,3 %
Ciências Biológicas – Licenciatura: 81,8%
Pedagogia – Licenciatura: 75,6%
Licenciatura Integrada em Química e Física: 70%
Engenharia de Alimentos: 68,6%
Estudantes no campus da Unicamp, antes da pandemia da Covid-19
Antonio Scarpinetti / Unicamp
Impactados pelo Enem
O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), suspenso no ano de 2021, era a principal porta de entrada para os candidatos de cursinhos populares. Em 2020, 12% deles entraram por esse acesso, quase o dobro dos 6,5% que conseguiram ser aprovados no vestibular tradicional.
Ingressos de cursinhos populares em 2020 na Unicamp
O acesso via cotas também tem grande abrangência quando se fala em estudantes de cursinhos populares. Em 2020, 14,2% dos 15,5% dos inscritos em cotas foram matriculados.
Ingressos de cursinhos populares via cotas em 2020 na Unicamp
Segundo as estatísticas dos ingressos em 2020 publicadas pela Comvest, metade dos alunos aprovados frequentou curso pré-vestibular. Destes, apenas 7,4% fizeram cursinhos comunitários.
De aluno a professor
Michael Douglas Deboni de Lima, de 23 anos, foi aprovado em letras na Unicamp em 2020. É ex-aluno, professor e coordenador do Cursinho Popular Dercy Gonçalves, em Sumaré. A experiência foi decisiva para ele ingressar duas vezes na Unicamp.
“Sei que não sou só professor e que não trabalho apenas conceitos e conteúdos de vestibular. Eu ajudo na formação de cidadãos.”
Michael Deboni, estudante de Letras da Unicamp. Ex-aluno, professor e coordenador do Cursinho Popular Dercy Gonçalves, em Sumaré.
Arquivo pessoal
A história começou em 2015, como aluno da primeira turma da iniciativa. Antes disso, nunca tinha pensado em ingressar em uma universidade pública.
“Foi extremamente essencial. Eu poderia até ter passado na universidade sem o cursinho, mas eu não teria noção de que eu poderia fazer Unicamp sem ele”.
Na época, as aulas aconteciam a cada 15 dias, aos sábados, das 8h às 18h. Para suprir o pouco tempo de aula, desenvolveu autonomia para estudar durante a semana. Tomou gosto pelo estudo e se apaixonou pela educação. Se sentir próximo dos professores, a maioria universitários com a mesma faixa etária dos alunos, foi uma inspiração.
“É aquele pessoal que tá no gás, apaixonado, interessado no que está fazendo. Além de ser uma forma de dar acesso à universidade, o cursinho também é um meio de estudantes da licenciatura terem acesso à sala de aula. Muitos professores incríveis começaram gaguejando na frente de uma sala de cursinho popular.”
Michael falou sobre o vestibular durante a segunda fase da Unicamp em 2020 em reportagem na EPTV. Veja no vídeo abaixo.
Primeiro dia da segunda fase da Unicamp tem abstenção de 10%
*Sob a supervisão de Patrícia Teixeira
VÍDEOS: Tudo sobre Campinas e região
Veja mais notícias da região no G1 Campinas.