Dia do pau-brasil: confira dados e teste seus conhecimentos sobre a árvore que nomeou a nação


Da exploração à conservação de exemplares históricos, faça um QUIZ sobre a espécie. 03/04: no dia do pau-brasil, confira dados sobre a árvore que nomeou a nação
A ganância em busca da cor e da força do pau-brasil (Caesalpinia echinata Lam) tornou o destino da árvore enfraquecido e cada vez menos colorido. O famoso símbolo da colonização, originário da Mata Atlântica brasileira, tem uma trajetória de exploração por conta de um pigmento vermelho liberado em grande quantidade por sua madeira, o que despertou o interesse dos primeiros europeus que chegaram aqui.
Não por acaso, a espécie recebe o nome em tupi de Ibirapitanga, a “árvore vermelha”. Quando extraído, o pigmento é usado para tingir roupas e, portanto, a técnica atraiu os olhares dos colonizadores que tratavam o recurso como artigo de luxo. Mas a árvore é uma das mais valiosas do mundo também por possuir alta durabilidade e resistência ao ataque de fungos e bactérias. Por conta disso, foi fortemente utilizada para a confecção de arcos de violinos, além de esculturas, mesas e imagens de santos.
Toras de Pau-brasil são extraídas de terras indígenas até hoje
Polícia Federal
Com um crescimento muito lento e o ritmo da exploração intenso, as mais de 70 milhões de árvores distribuídas em território nacional no período da colonização foram dizimadas. O impacto foi tamanho que a espécie passou a ser considerada extinta na natureza. Apenas em 1928 novos exemplares foram redescobertos.
Apesar da resistência, pesquisas recentes têm mostrado que o pau-brasil é suscetível à poluição e apresenta redução no desenvolvimento em condições de estresse ambiental, causando também a queda no tempo de vida dos indivíduos. Pensando em proteger os últimos sobreviventes da história, o dia do pau-brasil foi decretado em 1978, quando a espécie se tornou Árvore Nacional, uma ferramenta para conscientização.
Faça o QUIZ e teste seus conhecimentos:
O quanto você sabe sobre o pau-brasil?