Fase emergencial: sete cidades da região de Campinas fecham 1ª semana sem atingir 50% de isolamento em nenhum dia


Medida teve início em 15 de março e dados considerados são de até domingo. Oito municípios alcançaram ou superaram percentual colocado como meta para reduzir indicadores da Covid-19. Campinas durante fase emergencial do Plano SP
Adriano Rosa / PMC
Sete das 15 cidades da região de Campinas (SP) encerraram a primeira semana da fase emergencial para enfrentamento da pandemia sem atingir, em nenhum dia, a meta de pelo menos 50% em isolamento social estipulada pelo governo do estado para reduzir a circulação do novo coronavírus. Entre as mais populosas, Americana (SP) e Indaiatuba (SP) alcançaram este patamar no domingo.
A fase emergencial teve início em 15 de março e segue pelo menos até o dia 30. Ainda no domingo, Campinas (SP) registrou índice de 48%, e ficou abaixo da média do estado de 51%. Hortolândia (SP) teve o pior resultado, com 44%, enquanto o percentual mais elevado foi de 56% e contabilizado pelos municípios de Artur Nogueira (SP) e Mogi Mirim (SP). Veja abaixo gráfico com evolução.
Na prática, a fase emergencial significa uma ampliação das restrições já estipuladas na fase vermelha, até então a mais restritiva do Plano SP para as atividades econômicas no enfrentamento à Covid-19. Ela vai até 30 de março e impõe “toque de recolher”, veta celebrações religiosas coletivas e ainda estabelece mudanças em 14 atividades econômicas para diminuir circulação de pessoas.
Além disso, municípios da Região Metropolitana (RMC) decidiram ampliar as fiscalizações ou aplicar punições mais rigorosas para tentar frear o aumento de casos, mortes e internações por Covid-19.
O que dizem as prefeituras?
O G1 questionou o resultado aos municípios que não atingiram 50% em nenhum dia da fase emergencial. Confira abaixo as respostas de cada prefeitura.
Amparo
A prefeitura diz que vê o resultado com preocupação e tem aplicado uma série de medidas para frear a Covid-19. A assessoria ressalta ainda que os indicadores são monitorados e que, caso ela não verifique melhora no quadro de internações em UTIs da cidade, não descarta hipótese de lockdown.
“Em janeiro, fomos o primeiro município a regredir à fase vermelha e estamos seguindo todas as determinações estaduais, inclusive com fiscalização intensa da Vigilância Sanitária e Polícia Municipal”, diz texto ao destacar trabalhos de comunicação com moradores e “testagem em massa”.
Campinas
O governo municipal diz que todas as determinações do Plano SP para a fase emergencial são atendidas, e destaca que instituiu desde 18 de março um “toque de recolher” com punições mais severas para os infratores. A assessoria diz ainda que diariamente divulga a situação dos leitos de internação, além dos números de casos e mortes, o que garante transparência sobre o quadro crítico.
“É preciso que a população se conscientize da importância das medidas de distanciamento e cumpra as medidas sanitárias como uso de máscara e higienização das mãos”, ressalta o Executivo.
Hortolândia
Hortolândia sustenta, em nota, que intensificou no mês de março as ações permanentes de conscientização e fiscalização para garantir cumprimento das regras previstas em decreto. Além disso, afirma contar com a colaboração dos moradores em denúncias sobre aglomerações.
“As equipes de fiscalização, compostas por contingente da guarda municipal, fiscais de postura e de vigilância sanitária, além de funcionários públicos de demais secretarias, tem feito diligências de maneira contínua a estabelecimentos caracterizados como essenciais e não essenciais, buscando orientar a população distribuindo máscaras e materiais informativos como panfletos e cartazes.”
Paulínia
A administração alegou que faz campanhas educativas e operações de fiscalização que envolvem a Guarda, Polícia Militar, Defesa Civil e Vigilância Sanitária, com objetivo de garantir cumprimento das medidas sanitárias do Plano SP. A assessoria informa que ocorreram seis ações no fim de semana.
“A administração municipal ressalta que é necessário que toda população contribua não aglomerando, usando máscara e higienizando as mãos sempre que possível e denunciando às forças de segurança eventos clandestinos”, diz texto do governo.
Valinhos
A prefeitura defende, em nota, que foi a primeira cidade da região a determinar restrições para circulação, com propósito de reduzir indicadores da pandemia. “A eficácia desta medida, com intensificação das barreiras sanitárias e fiscalizações, junto à fase emergencial do Plano São Paulo, depende muito de cada um de nós, para que os resultados sejam assertivos”, diz texto.
Sem respostas
Procuradas por e-mail, as assessorias da prefeituras de Itapira e Sumaré não comentaram o assunto.
Como é feito o monitoramento?
O monitoramento inteligente é feito com base em dados cedidos pelas operadoras Vivo, Claro, Oi e Tim. O governo do estado destaca que o sistema analisa os dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento e apontar a eficácia das medidas de isolamento social.
VÍDEOS: veja notícias de Campinas e região
Initial plugin text
Veja mais notícias da região no G1 Campinas.