Fato ou Fake: pó da borboleta causa cegueira?


Especialista explica o que é na verdade esse “pó” e esclarece se há ou não risco para a visão. Escamas das borboletas são como pelos modificados.
Almir Candido/Gente da Terra
Quem já ouviu na infância que pó de borboleta causa cegueira quando cai no olho? Não se sabe ao certo a origem dessa história, mas o que é possível afirmar é que ela não é verdadeira.
O popularmente conhecido como pó do inseto nada mais é do que as escamas do animal. A bióloga e especialista em borboletas Cynira da Silva Gabriel explica que existem cerca de oito formas diferentes de escamas nas borboletas: “A maior parte das espécies possuem escamas recobrindo todo corpo, desde a asa até o tórax e abdome, cada local com um tipo e forma diferente. Mas também há aquelas que apresentam pouquíssimas escamas ou têm ausência delas como as chamadas borboletas-de-vidro, que contam com asas translúcidas”.
Há mais de quatro séculos a.C há registros de gregos estudando as asas desses insetos. O nome da ordem Lepidópteros (lepis= escamas, e pteron=asas) significa inseto de asas escamosas
As escamas podem possuir diferentes cores, formatos e tamanhos.’
Todd Olson/Arquivo TG
A especialista ainda acrescenta que há diversas funções para essas estruturas. ” Através das escamas das asas as cores das borboletas se formam e acabam refletindo e absorvendo os raios solares, funcionando como regulador de temperatura. Também auxiliam na identificação de machos e fêmeas entre os grupos, podem ainda ajudar na imitação de outros animais para proteção e até na camuflagem”.
O estudante de biologia Matheus Eduardo Schwantes que trabalha com a divulgação científica de mariposas e borboletas também acrescenta que as escamas ajudam no voo. “As escamas conseguem quase que um amortecimento no ar e proporcionam um voo mais silencioso”. Ele explica também que essas estruturas uma vez que caem, não se reconstituem. “É por isso que não devemos tocar nas borboletas, porque elas são muito frágeis. De qualquer modo, as escamas também acabam caindo naturalmente com o passar da vida delas e as cores vão ficando mais opacas”.
As espécies conhecidas como borboletas-de-vidro têm menos escamas nas asas por serem translúcidas.
Denis Moura/Acervo Pessoal
Independente da quantidade, formato e tamanho, as escamas das borboletas não são capazes de causar cegueira. “Elas não causam nenhum tipo de lesão ocular. O que pode acontecer é uma irritação superficial e ardência, igual aconteceria com qualquer corpo estranho que entrasse em contato com o olho, por ser um órgão muito sensível. Passando água e higienizando, tudo volta ao normal”, esclarece Cynira.
A pesquisadora comenta que existe relatos das escamas de apenas uma espécie de mariposa do gênero hylesia sp que pode causar dermatose com infecções da pele com vermelhidão. Já as outras cerca de 20 mil espécies de borboletas existentes no planeta são completamente inofensivas na fase adulta.