IR 2021: região de Campinas deve 58,4 mil declarações previstas em último dia do prazo; saiba como fazer


Prestações de contas ao Leão devem ser feitas até 23h59 desta segunda, sob pena de multa. Veja como enviar os dados e confira calendário das restituições, que começam a ser pagas nesta data. Prazo para declarar IR 2021 chega ao fim nesta segunda
Marcelo Camargo/Agência Brasil
A região de Campinas (SP) chega ao último dia do prazo para declarações do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2021 sem ter realizado 6,9% das prestações de contas esperadas pela Receita Federal. Este grupo inclui 58,4 mil contribuintes e quem não declarar os dados ao Leão até 23h59 desta segunda-feira (31) terá de pagar multa. Por outro lado, há moradores que integram o primeiro lote de restituições, previsto também para esta data. Veja abaixo como declarar e consultar valores.
As estatísticas consideram as 31 cidades da área de cobertura do G1 Campinas, onde o total de declarações feitas chega a 782,5 mil entre as 841 mil previstas, segundo dados divulgados pelo órgão federal até esta publicação e contabilizados até a noite de sábado (29). O prazo inicial concedido aos contribuintes era 30 de abril, mas foi adiado em um mês por causa de reflexos da pandemia.
Campinas, com 305,4 mil registros no período, reúne 39% dos formulários somados pela instituição subordinada ao Ministério da Economia. O total significa 90% entre as 339,3 mil esperadas.
Declarações do IRPF 2021 na região de Campinas
Quem é obrigado a declarar e não o fizer, ou enviar a declaração fora do prazo, terá que pagar multa de, no mínimo, R$ 165,74, e máximo correspondente a 20% do imposto devido.
Para verificar se está incluída nesta etapa do cronograma, a pessoa deve fazer a consulta na página da Receita na internet ou no aplicativo da RF para tablets e smartphones.
SAIBA TUDO SOBRE O IMPOSTO DE RENDA 2021
Veja como preparar os documentos para a declaração
Programa gerador do Imposto de Renda 2021; veja versões disponíveis e como baixar
Quem precisa declarar
quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2020. O valor é o mesmo da declaração do IR do ano passado.
contribuintes que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil no ano passado;
quem obteve, em qualquer mês de 2020, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;
quem teve, em 2020, receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 em atividade rural;
quem tinha, até 31 de dezembro de 2020, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil;
quem passou para a condição de residente no Brasil em qualquer mês e se encontrava nessa condição até 31 de dezembro de 2020;
quem optou pela isenção do imposto incidente em valor obtido na venda de imóveis residenciais cujo produto da venda seja aplicado na aquisição de imóveis residenciais localizados no país, no prazo de 180 dias, contado da celebração do contrato de venda.
A Receita tornou obrigatória a entrada da declaração do IRPF para quem recebeu auxílio emergencial em 2020 e, além das parcelas, recebeu R$ 22.847,76 ou mais em outros rendimentos tributáveis.
Segundo o órgão, os valores recebidos de auxílio emergencial são considerados rendimentos tributáveis e devem ser declarados na ficha “rendimentos recebidos de pessoa jurídica”. Eles não contam, contudo, para o teto de R$ 22.847,76.
Em todo o Brasil são esperadas cerca de 32 milhões de declarações no prazo estipulado pela Receita, das quais 10,3 milhões devem ser realizadas por contribuintes residentes no estado de São Paulo.
Restituições
A restituição para quem tiver valores a receber será paga em cinco lotes. O primeiro será nesta segunda, e os outros serão transferidos até setembro – confira calendário no fim desta reportagem.
Para verificar se foi contemplado nesta etapa do cronograma, o contribuinte deve fazer a consulta na página da Receita ou por meio do aplicativo da RF para tablets e smartphones. A Delegacia da Receita em Campinas estima R$ 92,3 milhões em restituições do imposto, decorrentes de 54,9 mil declarações feitas na metrópole, além de Hortolândia, Indaiatuba, Jaguariúna, Paulínia, Sumaré, Valinhos e Vinhedo.
Datas dos pagamentos
1º lote: 31 de maio
2º lote: 30 de junho
3º lote: 30 de julho
4º lote: 31 de agosto
5º lote: 30 de setembro
PLAYLIST: Veja dicas sobre Imposto de Renda
Veja mais notícias da região no G1 Campinas.