Maioria das indústrias da região corta produção em março com piora da pandemia, mas Ciesp espera retomada com vacinação


Pesquisa diz que 43% das companhias descartam investimentos em capacidade nos próximos 12 meses, e que 74% consideram ‘fundamental’ acesso a créditos com juros mais baixos. Ciesp em Campinas avalia que atividade industrial pode voltar a crescer após vacinação
A maioria das indústrias da região de Campinas (SP) reduziu a produção em março por causa da piora da pandemia e descarta fazer investimentos em capacidade pelos próximos 12 meses, segundo pesquisa divulgada nesta terça-feira (30) pelo Centro das Indústrias do Estado (Ciesp). Por outro lado, a entidade avalia que a retomada irá ocorrer com aumento da população vacinada contra Covid-19.
Campinas abre 4,6 mil vagas de trabalho com carteira assinada em fevereiro, mas saldo segue negativo desde início da pandemia
O levantamento indica que 41% das empresas associadas tiveram redução de produção neste mês, enquanto que este percentual era de 24% na avaliação anterior, realizada entre janeiro e fevereiro.
“Precisamos ter a manutenção das nossas empresas, com emprego pleno, para que a gente possa ter a retomada. Por isso, acreditamos que com a vacinação e com, nos próximos meses, a maior imunização da população, a indústria consiga retomar o seu crescimento”, avalia o vice-diretor da instituição, José Henrique Toledo Corrêa.
A sondagem destaca ainda que 43% das indústrias não planejam realizar investimentos para elevar a produção nos próximos 12 meses, enquanto que 74% consideram “fundamental e obrigatório” a necessidade de crédito disponível a juros mais baixos para permitir o processo de retomada.
Além disso, a maioria das companhias destaca que manteve o número de funcionários e o nível de inadimplência segue inalterado, embora sejam predominantes relatos de quedas de lucros e vendas.
A regional do Ciesp em Campinas (SP) tem 494 empresas associadas, em 19 municípios da região. Juntas, elas têm 98,8 mil empregadores e o faturamento conjunto delas é de R$ 41,52 bilhões por ano.
Indicadores da pesquisa
Volume de produção em março, em relação ao período janeiro-fevereiro
Diminuiu – 41%
Permaneceu estável – 33%
Aumentou – 26%
Número de funcionários em março, em relação ao período janeiro-fevereiro
Diminuiu – 19%
Permaneceu estável – 71%
Aumentou – 10%
Nível de inadimplência em março, em relação ao período janeiro-fevereiro
Diminuiu – 12%
Permaneceu inalterado – 62%
Aumentou – 26%
Lucratividade em março, em relação ao período janeiro-fevereiro
Inferior – 55%
Estável – 38%
Superior – 7%
Investimentos nos próximos 12 meses em capacidade produtiva
não irá investir – 43%
irá atualizar o maquinário existente – 38%
irá ampliar o número de máquinas – 19%
Necessidade de crédito mais disponível a juros mais baixos
fundamental e obrigatório – 74%
importante – 17%
não interfere – 9%
A sede do Ciesp, em Campinas
Roncon & Graça Comunicações
Vídeos: veja tudo sobre Campinas e região
Veja mais notícias da região no G1 Campinas.