Médica sanitarista e ex-diretora de Saúde de Campinas, Maria Haydée morre aos 69 anos


Haydée, que também foi presidente do Conselho Municipal de Saúde, lutava contra um câncer de mama. Conselho, prefeito e secretaria prestaram homenagens. ‘Legado importante para o SUS’. Médica sanitarista de Campinas, Maria Haydée de Jesus Lima morreu aos 69 anos
Reprodução/Facebook/Conselho Municipal de Saúde
Morreu neste sábado (17), aos 69 anos, a médica sanitarista e ex-diretora de Saúde de Campinas Maria Haydée de Jesus Lima. Haydée também foi presidente do Conselho Municipal de Saúde, coordenadora do Centro de Saúde da Vila Ipê e integrante do Movimento Popular de Saúde.
A médica recebeu homenagens do Conselho Municipal de Saúde, do prefeito Dário Saadi (Republicanos) e da Secretaria de Saúde de Campinas. Segundo o conselho, Haydée lutava contra um câncer que começou na mama.
“Uma vida dedicada a defender a justiça social, a igualdade, as políticas públicas universais, particularmente a política pública de saúde, o SUS, sua maior paixão”, descreveu o conselho, em post no Facebook.
“Nossa profunda admiração e gratidão por tudo que aprendemos e construímos nos encontros dessa vida, nos movimentos, no Conselho. Continuamos aqui com você, de mãos dadas na defesa da saúde e da vida digna, mais justa e fraterna pro povo brasileiro”, continua o texto de homenagem.
Ex-servidora pública, Haydée recebeu, em 2014, o diploma de Mérito Médico “Dr. Roberto Maia Rocha Brito”, entregue pela Câmara Municipal a personalidades da área da saúde que se destacaram no exercício da profissão e prestaram serviço à comunidade campineira.
Maria Haydée de Jesus Lima foi defensora da saúde pública e atuou no Movimento Popular de Saúde
Reprodução/Facebook/Conselho Municipal de Saúde
‘Deixa um legado importante para o SUS’, afirma prefeitura
Por meio de nota, a prefeitura prestou homenagem e se solidarizou com os familiares e amigos. “Muito querida, deixa um legado importante para o SUS, tendo contribuído para a formação de inúmeros profissionais na área”.
“Era servidora da prefeitura de Campinas e foi diretora municipal de saúde, coordenadora do Centro de Saúde da Vila Ipê, presidente do Conselho Municipal de Saúde e integrou o Movimento Popular de Saúde”, afirma a administração municipal.
Veja mais notícias da região no G1 Campinas