Morador de Campinas usa caiaque para retirar lixo do rio Atibaia e pede apoio


Marcelo Scaranari comprou equipamento de canoagem para praticar esporte, porém devido ao acúmulo de lixo na água o propósito mudou. Marcelo realizou campanhas para tirar o lixo do rio Atibaia
Reprodução vídeo
Há um ano o tatuador Marcelo Scaranari explora o rio Atibaia, manancial responsável por abastecer 95% da cidade de Campinas (SP). Admirador da natureza desde a infância, ele encontrou na atividade de canoagem uma forma de estreitar a relação com o meio ambiente sem sair da cidade.
“Quando eu conheci o caiaque foi algo mágico, como se tudo tivesse se conectado, eu venho do surf e queria ter um esporte que pudesse praticar no dia a dia, desde que descobri o caiaque eu tenho uma relação quase que diária com o rio Atibaia. Acompanho diariamente o nível do rio, que é quase como um pulmão que enche e esvazia, sinto as cheias e secas do rio, e consequentemente as diferentes facetas que ele apresenta a cada nível”, comenta Scaranari.
Initial plugin text
Mas o rio que tem tudo para ser o paraíso, inclusive para a prática do esporte, está se tornando cada vez mais um ambiente de horror, graças ao acúmulo de lixo que apresenta nas margens e curvas. Diante desta triste realidade, Marcelo resolveu agir para solucionar esse problema: criou duas campanhas para promover ações de limpeza do rio Atibaia.
“Como usuário do rio eu me senti na obrigação moral com a natureza que tanto me provê e me dá muita alegria. Divulguei a iniciativa de limpar o rio em grupos de canoagem e interessados na saúde do rio e fizemos um mutirão retirando o máximo que pudemos, mas o trabalho é de ‘enxugar gelo’, a limpeza tem que ser constante, assim como é feita nas ruas e praias”, pontua.
Caiaque usado para praticar canoagem tornou transporte para retirar o lixo
Reprodução vídeo
O rio Atibaia tem 165 km de extensão e o mutirão de limpeza promovido pelo tatuador corresponde a região de Sousas, mais especificamente no trecho das 3 pontes. “No final de dezembro de 2020 fizemos a ação e tivemos ajuda da subprefeitura do distrito, que nos ajudou com o transporte e despejo do lixo recolhido, eles apontaram que retiramos 8 toneladas de lixo do rio”, comenta Marcelo.
Em 2019 a Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa), responsável pelo tratamento e distribuição de água, divulgou que 14 toneladas de lixo eram retiradas por mês do rio Atibaia.
A ação individual do Marcelo e de alguns colegas são exemplos para todos que não enxergam à importância do manancial, e para eles essas campanhas servem de alerta e até pedido de socorro para o poder público.
É importante tornar esse assunto de conhecimento da população para que haja uma limpeza periódica, pelo menos nos trechos mais frequentados por pessoas. Para nós esse trabalho é muito árduo, e precisamos de ajuda inclusive para levar o lixo embora.
O sonho do tatuador é ver o rio limpo e sendo bem aproveitado pela população. “Meu objetivo em primeiro lugar é cuidar do meio ambiente e consequentemente fomentar a vida ao ar livre, o bem estar e o esporte. O rio Atibaia é vida pra mim, com ele descobri uma cidade que não existia e muita gente ainda não sabe que existe, quero levar essa visão às pessoas para que elas sintam o mesmo benefício que o rio me trouxe”, finaliza.
Amigos do Marcelo ajudam a retirar lixo do rio Atibaia
Arquivo Pessoal