Morador de Indaiatuba (SP) descobre paixão pela fotografia de natureza durante a pandemia


Isolamento social despertou em Fábio Monfrin interesse pelos flagrantes; observação de aves virou atividade da família. Primeiro encontro com a fêmea da choca-barrada foi registrado por Fabio
Fabio Mincarelli Monfrin/VC no TG
Gerente de comunicação, pai e agora fotógrafo de natureza: há um ano o ‘currículo’ de Fábio Monfrin ficou mais variado. É que com o início da pandemia e a necessidade de passar mais tempo em casa ele descobriu a vida silvestre que o cerca. Durante caminhadas matinais pelo condomínio, em Indaiatuba (SP), Fábio e os filhos passaram a observar aves e o encantamento foi grande o suficiente para tirar do armário uma máquina fotográfica antiga.
“Naquele momento meu repertório não ia além de identificar o bem-te-vi e pardal. Mesmo assim, decidi começar a fotografá-los e, ao publicar no Instagram, descobri que existe uma comunidade enorme e super forte ligada à observação de aves”, conta.
Clique de martim-pescador é destaque no acervo pela composição de cores e luz
Fabio Mincarelli Monfrin/VC no TG
Interessado em fazer parte desse grande grupo, o gerente de comunicação se inscreveu em cursos online de fotografia básica, fotos de aves e edição de fotos. “Com as economias de não ter que me deslocar diariamente ao trabalho investi em equipamentos melhores”.
Com câmera e lente mais potentes, Fábio passou a exercitar o olhar de observador e fotógrafo, que lhe rendeu encontros marcantes. “Um flagrante muito especial tem relação com o planejamento e aplicação de técnica para atrair a espécie. Em fevereiro registramos um novo lifer para a nossa lista: uma fêmea da espécie choca-barrada! Até então nunca havíamos observado essa espécie nas nossas caminhadas. Após pesquisar sobre a espécie, aprendemos que o macho é bem diferente, com o corpo todo rajado de preto e branco. Decidimos um dia usar o playback para tentar atrair as aves e ficamos muito emocionados quando vimos que rapidamente a família toda das chocas se aproximou para conferir o que estava acontecendo. Esse dia rendeu lindas fotos do casal e de um terceiro indivíduo, um macho imaturo”, lembra o observador, que destaca ainda um encontro de tirar o fôlego.
Registro de um macho de choca-barrada garantido usando a técnica do playback
Fabio Mincarelli Monfrin/VC no TG
“Uma das espécies que eu acho mais belas é o Saí-andorinha. Cheguei a fotografar uma única vez, em Capitólio/MG: estávamos caminhando por uma trilha dentro da água, em um rio, nos equilibrando nas pedras. A mochila com os equipamentos estava nas costas e a câmera na mão, preparada com uma lente com pequena distância focal, para fotografar uma cachoeira. Quando de repente avistamos um belíssimo macho empoleirado numa clareira no meio da mata. Sabe aquela composição e iluminação simplesmente perfeitas? Fiz o clique como deu para não perder o registro, mesmo sem ter onde apoiar a mochila para trocar a lente e aproximar mais”, destaca Fábio, que deseja fotografar a ave novamente, dessa vez com mais detalhes.
Outra fotografia do acervo que chama atenção é uma composição com vários cliques do tiziu. “Gosto de preparar a câmera, ajustar o foco e fazer uma sequência de fotos em alta velocidade quando ele está dando suas características piruetas. Isso me permite captar diferentes instantes da sua trajetória”, diz.
Montagem mostra detalhes do voo do tiziu
Fabio Mincarelli Monfrin/VC no TG
Cada vez mais perto da natureza
Consciente em relação à conservação do meio ambiente, Fábio sempre se preocupou com a reciclagem do lixo, economia de água e de recursos naturais. No entanto, o contato efetivo com a natureza deixava a desejar. “Minha esposa até brincava dizendo que eu era muito urbano”, conta o fotógrafo de natureza, que junto à família transformou as caminhadas em áreas verdes uma prática comum.
“Fazer as fotos durante os passeios tem servido de inspiração param eu filho mais velho Miguel, de nove anos, e para a minha espoa Kellen. Miguel vai com uma câmera e já fez belos cliques, compartilhados na rede social. Até o menor, Raul, de cinco anos, reconhece algumas das espécies quando vê ou escuta”, conta o pai, orgulhoso.
Registro do tucano foi feito pelo filho Miguel, logo no primeiro dia de passarinhada em família
Fabio Mincarelli Monfrin/VC no TG
O que eu realmente espero é que, com essa experiência, sirva de exemplo para meus filhos, para que eles cresçam com um forte vínculo com a natureza e façam um papel ainda melhor na proteção do meio ambiente e da vida selvagem
Monfrin foi até a Serra da Canastra participar de um workshop de astrofotografia
Fabio Mincarelli Monfrin/VC no TG
O céu é o limite
Olhos e lentes apontadas para o céu não garantem somente cliques de aves: apaixonado pela astrofotografia, Fábio também se arrisca no clique de estrelas e da lua. “Além das fotos de animais livres na natureza, sempre fui apaixonado pelo céu noturno. Então esses são os dois temas principais que eu amo fotografar”, conta.
Para exercitar o que tem aprendido nos cursos, ele se aventurou em uma breve viagem na Serra da Canastra. De volta para Indaiatuba, trouxe junto às fotos muitos sonhos. “O foco da viagem foi realizar fotos noturnas (astrofotografia), mas fiquei apaixonado pelo local e pretendo voltar para passar um tempo mais longo e visitar mais lugares. Inclusive, na tentativa de realizar um sonho: fotografar o lobo-guará”, finaliza.
Fabio destaca o clique da lua cheia como um dos favoritos do acervo
Fabio Mincarelli Monfrin/VC no TG