Polícia Civil investiga suspeita de golpe contra imigrantes haitianos em Campinas


Imigrantes contrataram serviço em agência que prometia ajudar em viagem para a Guatemala e estavam com os documentos ‘presos’ há meses na empresa. Guarda Municipal ajudou imigrantes na recuperação dos passaportes. Imigrantes haitianos recuperam passaportes após golpe em Campinas
A Polícia Civil abriu uma investigação nesta segunda-feira (31) sobre uma suspeita de golpe contra imigrantes haitianos em Campinas (SP). As vítimas contrataram uma agência que viabilizaria a viagem dos imigrantes para a Guatemala, mas estavam com os passaportes “presos” na empresa há cinco meses. O caso será apurado como estelionato.
A dupla de imigrantes – um deles com esposa e filha – mora em Sorocaba (SP) e veio até Campinas para encontrar o representante da agência no terminal rodoviário nesta segunda. O funcionário deveria entregar vistos e passagens para a viagem, mas isso não aconteceu, segundo os trabalhadores haitianos.
“Depois de cinco meses, eu chamo ele e ele nunca atende. Só fala: ‘Vai dar, vai dar’, mas nunca dá”, explicou uma das vítimas, que preferiu não ser identificada na reportagem. Eles investiram R$ 5 mil e US$ 700 para conseguir a viagem.
“Tenho dois filhos. É difícil, eu quero viajar para outro país para tentar outra vida”, disse o imigrante.
Haitiano diz ter sido vítima de golpe em Campinas
Reprodução/EPTV
Os homens perceberam o golpe e chamaram a viatura da Guarda Municipal que passava pela Rodoviária de Campinas. Os clientes da agência e o representante da empresa foram encaminhados ao 1º Distrito Policial e prestaram depoimento. Foi registrado boletim de ocorrência e os passaportes foram recuperados.
“Eles tinham um encontro marcado, parece que para pagar por mais um serviço que não havia sido feito a respeito dos passaportes. E, no momento da entrega, da troca dos passaportes por dinheiro, a gente conseguiu abordar o indivíduo, que estava com os passaportes deles”, contou a guarda Patrícia Ramos.
A Polícia Civil deu um prazo de dez dias para o funcionário da empresa apresentar a documentação da agência, que estaria localizada em Campinas. Ele foi liberado em seguida. O dinheiro gasto pelos haitianos com as transações ainda não foi recuperado.
À reportagem da EPTV, afiliada da TV Globo, o funcionário da agência afirmou que o atraso ocorreu por conta da pandemia e que vai ajudar as vítimas a recuperar o dinheiro investido.
VÍDEOS: veja o que é destaque na região de Campinas
Veja mais notícias da região no G1 Campinas