Região de Campinas é mantida na fase de transição até fim de maio; capacidade de ocupação dos estabelecimentos sobe para 40%


A partir de junho, governo estadual prevê aplicar nova fase do Plano SP, com maior horário e capacidade de atendimento em comércios. Casos e internações aumentam em todo o estado. Fase de transição do Plano São Paulo será mantida até 31 de maio em todo o estado
Governo de SP
O Departamento Regional de Saúde 7 (DRS-7), com sede em Campinas (SP), foi mantido, junto com todo o estado, na fase de transição do Plano São Paulo. No entanto, o governo estadual decidiu ampliar a capacidade de ocupação dos estabelecimentos para 40% a partir de 24 de maio. Até domingo (23), o percentual permanece em 30%.
A manutenção foi comunicada nesta quarta-feira (19), em entrevista coletiva do governador João Doria (PSDB). A partir de junho, o estado passará para uma nova etapa do plano, com ampliação do atendimento presencial para 6h e 22h, até 60% da capacidade de ocupação nos comércios e torque de recolher de 22h às 5h.
Criada para ser uma etapa entre as fases vermelha e laranja, a fase de transição do Plano São Paulo foi implantada no estado em 18 de abril. Desde a data, foi flexibilizada em diversos momentos.
Regras de 24 a 31 de maio
Atividades comerciais: atendimento presencial entre 6h e 21h
Atividades religiosas: atividades presenciais individuais e coletivas
Serviços gerais (restaurantes, cultura, salões de beleza, academias): Atendimento presencial entre 6h e 21h
Até 40% da capacidade de ocupação dos estabelecimentos
Toque de recolher de 21h às 5h
Regras a partir de 1 de junho
Atividades comerciais: atendimento presencial entre 6h e 22h
Atividades religiosas: atividades presenciais individuais e coletivas
Serviços gerais (restaurantes, cultura, salões de beleza, academias): Atendimento presencial entre 6h e 22h
Até 60% da capacidade de ocupação dos estabelecimentos
Toque de recolher de 22h às 5h
Casos e internações
A nova flexibilização da quarentena ocorre em meio ao aumento de 11% dos casos de Covid-19 entre a 18ª e 19ª semanas epidemiológicas da pandemia. A 19ª semana, encerrada em 15 de maio, teve 12.573 novos registros em todo o estado. Já a anterior fechou com o 11.320 novos casos.
Em relação às internações, o crescimento foi de 2,6%. A semana 19 teve 2.303 pacientes internados, enquanto a anterior fechou com 2.244.
Coordenador executivo do Centro Estadual de Contingência da Covid-19, João Gabbardo afirmou nesta quarta-feira que prevê uma “situação de estabilidade e possível aumento” dos números da pandemia para as próximas quatro semanas. Segundo ele, o crescimento será pequeno e com redução de casos graves a partir do avanço da imunização.
“A gente tem uma previsão de um pequeno aumento [das internações], que não vai chegar nem próximo do que nós tínhamos na fase mais dura de enfrentamento da pandemia em São Paulo”, disse Gabbardo.
O coordenador Executivo do Centro de Contingência, João Gabbardo
Vinicius Nunes/Estadão Conteúdo
O coordenador argumenta que os modelos matemáticos que consideram o avanço da vacinação mostram que, apesar do possível crescimento de novos casos nas próximas semanas, a previsão é de queda nas internações de casos graves, que resultam em mortes.
“Isso aconteceu em todos os outros países: a gente vai ter redução, com certeza, do número de casos graves, aqueles que resultam em internação e resultam em óbitos. Mesmo que a gente conviva, por um pouco mais de tempo, com um número de casos identificados pelo aumento da testagem, por uma falsa sensação de segurança que as pessoas adquirem com a vacinação”.
Veja mais notícias da região no G1 Campinas