Surto de Covid dentro de hospital público em Campinas mata paciente da unidade cirúrgica


Prefeitura confirmou a contaminação de seis pacientes e quatro médicos residentes, mas casos não teriam ligação entre si. Mulher que estava internada no Hospital Mário Gatti morreu no último sábado (22). Hospital Mário Gatti, em Campinas
Reprodução/EPTV
O surto de Covid-19 registrado na unidade cirúrgica do Hospital Dr. Mário Gatti, em Campinas (SP), provocou a morte de uma mulher. O caso era investigado pela prefeitura, que informou na noite desta segunda-feira (24) que a contaminação atingiu, ao todo, seis pacientes. A origem da contaminação, entretanto, não está esclarecida.
O caso veio à tona após um documento do Núcleo de Epidemiologia Hospitalar apontar que, no período de 10 a 13 de maio, foram detectados inicialmente quatro casos de Covid-19 em pacientes internados na enfermaria cirúrgica. Médicos residentes também testaram positivo para a doença.
Campinas registra mais 14 mortes por Covid-19 e total chega a 3.259; infectados ultrapassam 100 mil
De acordo com a Rede Mário Gatti, responsável pela gestão da unidade, entre os pacientes que testaram positivo, quatro foram mulheres, sendo que três delas não apresentaram sintomas clínicos e uma teve insuficiência respiratória grave, vindo a óbito no sábado (22). O nome e idade da vítima não foram informados.
A apuração da autarquia apontou ainda a contaminação de dois pacientes do sexo masculino, que apresentaram sintomas leves. Como não houve contato entre as duas alas, a avaliação é que a contaminação não estava relacionada com os casos das mulheres infectadas. Outros cinco pacientes foram testados e a suspeita descartada.
Casos em residentes
A investigação da Rede Mário Gatti sugere que a contaminação entre médicos residentes não tem relação com os casos positivados da unidade cirúrgica. Os quatro que apresentaram sintomas de síndrome gripal não prestaram atendimento aos pacientes e nem eram da mesma especialidade, sugerindo “a possibilidade de um surto entre os profissionais”.
“Essa contaminação extra-hospitalar ainda está sob investigação e os residentes estão afastados, ainda em isolamento”, informa, em nota.
Em coletiva na última quarta-feira (19), o presidente da Rede Mário Gatti, Sérgio Bisogni, disse que estava entre os objetos de investigação um suposto encontro de médicos residentes fora do hospital.
“Parece que o surto foi multifocal. Começou no hospital, mas também tivemos notícias de reuniões dos residentes fora do hospital”, disse Bisogni na ocasião.
Outros 20 profissionais das equipes de cirurgia geral do Mário Gatti foram testados e não houve mais nenhum caso confirmado.
VÍDEOS: Veja o que é destaque na região de Campinas
Veja mais notícias da região no G1 Campinas