Vacina contra Covid-19: Campinas reabre agendamento e inclui moradores com mais de 35 anos e estudantes da área de saúde


Prefeitura diz que quase 20 mil vagas estão disponíveis para aplicações de doses da CoronaVac e AstraZeneca. Marcações ocorrem após prefeitura esperar três dias por mais imunizantes. Campinas ampliou público-alvo de etapa em vacinação contra Covid-19
Rafael Smaira/G1
Campinas (SP) reabriu na tarde desta quarta-feira (25) o agendamento da vacinação contra Covid-19 ao grupo de moradores com comorbidades (doenças preexistentes – veja abaixo lista). Nesta etapa, a prefeitura também ampliou o público-alvo e incluiu os residentes com mais de 35 anos, além de estudantes da área de saúde, com mais de 18 anos, matriculados em instituições da cidade.
O agendamento deve ser feito em página da prefeitura ou pelo telefone 160. O início ocorreu às 14h e, segundo o Executivo, são aproximadamente 20 mil vagas abertas para aplicações das vacinas CoronaVac e AstraZeneca. A dose varia conforme disponibilidade no momento da imunização.
Em relação aos estudantes da área de saúde, a administração municipal ressalta que ele não precisa estar em estágio para receber a vacina contra a Covid-19. “A medida tem o objetivo de viabilizar a vacina considerando que os alunos farão estágios em breve”, diz nota da assessoria.
Os agendamentos foram retomados após a prefeitura suspender as marcações por três dias à espera de receber mais doses. No sábado, a administração fez um “Dia D” e imunizou 23,6 mil, incluindo moradores com mais de 45 anos, motoristas/cobradores de ônibus, e grupos remanescentes.
Veja formulário online sobre problemas de saúde de quem pode tomar vacina contra Covid
Acompanhe a evolução da vacinação contra Covid nas 31 cidades da região
Guia: veja quem pode tomar a vacina hoje em Campinas
O que levar?
No dia da imunização, o morador precisa levar o comprovante emitido no fim do agendamento, documento com foto, comprovante de endereço e documento médico onde seja atestado que ele tem uma das comorbidades consideradas prioritárias para a imunização.
O que é considerado comorbidade?
O governo de São Paulo segue os critérios de comorbidade definidos pelo Ministério da Saúde:
Insuficiência cardíaca
Cor-pulmonale e hipertensão pulmonar
Cardiopatia hipertensiva
Síndrome coronariana
Valvopatias
Miocardiopatias e pericardopatias
Doença da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas
Arritmias cardíacas
Cardiopatias congênitas no adulto
Próteses valvares e dispositivos cardíaco implantados
Diabetes mellitus
Pneumopatias crônicas graves
Hipertensão arterial resistente
Hipertensão artéria estágio 3
Hipertensão artéria estágio 1 e 2 com lesão e órgão alvo
Doença cerebrovascular
Doença renal crônica
Imunossuprimidos
Anemia falciforme
Obesidade mórbida
Cirrose hepática
Portadores do vírus HIV
Doença neurológica
De acordo com a coordenadora do programa estadual de imunização, Regiane de Paula, pacientes com câncer estão incluídos na categoria de “imunossuprimidos”.
Vacina contra gripe
Moradores que receberam a vacina contra a gripe precisam esperar pelo menos 14 dias para receber a dose contra Covid-19. A orientação também vale para a hipótese contrária, ou seja, quem foi imunizado contra o novo coronavírus precisa aguardar o mesmo período para receber a vacina contra os vírus O mesmo vale se for o contrário: só depois de 14 dias de ter tomado a vacina contra Covid é que a pessoa pode tomar a da gripe.
VÍDEOS: tudo sobre Campinas e região
Veja as notícias da região no G1 Campinas.