Veja como fica a região de Campinas após Estado prorrogar fase emergencial na quarentena


Medidas para conter circulação do vírus iniciadas em 15 de março serão mantidas até 11 de abril. Rodrigo Garcia, vice-governador do Estado de São Paulo, durante coletiva de imprensa nesta sexta-feira (26)
Reprodução/Governo de São Paulo
A região de Campinas (SP) terá regras mais rígidas para enfrentamento da pandemia até 11 de abril, após o governo do estado anunciar na tarde desta sexta-feira (26) a prorrogação da fase emergencial. Com isso, ficam mantidos o toque de recolher entre 20h e 5h, veto para celebrações religiosas coletivas e mudanças em 14 atividades econômicas para elevar o distanciamento social.
Leia abaixo o que pode funcionar e outras medidas mais rigorosas aplicadas pelas prefeituras.
As medidas restritivas para tentar reduzir a circulação do vírus em todos os municípios paulistas teve início em 15 de março e seriam inicialmente aplicadas até dia 30. Entretanto, o Comitê de Contingência da Covid-19 em São Paulo decidiu estender o período ao considerar que indicadores de casos e mortes seguem elevados, embora a velocidade da curva de internações tenha sido reduzida.
A medida também considera o colapso na saúde, já que há cidades com hospitais lotados e pacientes à espera de leitos de UTI e enfermaria. “Estamos ainda em um momento dramático, com número de perdas de vidas cada dia maior”, falou o coordenador, Paulo Menezes, ao fazer novo apelo para que as pessoas evitem aglomerações e não façam viagens por causa de feriados antecipados em São Paulo.
O que pode funcionar na fase emergencial
Escolas abertas apenas para oferta de merenda
Hospitais, clínicas, farmácias, dentistas e estabelecimentos de saúde animal (veterinários)
Supermercados, hipermercados, açougues, lojas de suplemento, feiras livres.
Drive-thru entre 20h e 5h, e delivery nos demais horários para restaurantes e outros estabelecimentos comerciais* (há municípios que fizeram alterações na regra)
Cadeia de abastecimento e logística, produção agropecuária e agroindústria, transportadoras, armazéns, postos de combustíveis
Empresas de locação de veículos, oficinas de veículos, transporte público coletivo, táxis, aplicativos de transporte, serviços de entrega e estacionamentos
Serviços de segurança pública e privada
Construção civil e indústria
Meios de comunicação, empresas jornalísticas e de radiodifusão sonora e de sons e imagens
Outros serviços: lavanderias, serviços de limpeza, hotéis, manutenção e zeladoria, serviços bancários (incluindo lotéricas), serviços de call center, assistência técnica e bancas de jornais
O que NÃO pode funcionar na fase emergencial
Academias
Igrejas e atividades religiosas
Campeonatos esportivos
Salões de beleza
Cinemas
Teatros
Shoppings
Lojas de rua, incluindo lojas de material de construção
Concessionárias
Escritórios
Parques
Clubes
Praias
Alguns setores e serviços que estavam autorizados a funcionar na fase vermelha também foram proibidos de operar, entre eles, lojas de materiais de construção e a retirada presencial de mercadorias e alimentos nos comércios. Além disso, foi determinado home office para as atividades administrativas dos setores não essenciais, e o governo recomendou manutenção da frota de veículos pelos municípios e, se possível, escalonamentos de expediente para evitar aglomerações em ônibus.
Estatísticas e objetivo
Em todo estado, 91,6% das UTIs Covid-19 estão ocupadas nesta sexta. Desde o início da pandemia já foram contabilizados 2,39 milhões de casos positivos, com 70,6 mil mortos. O Centro de Contingência da Covid-19 diz que o propósito da fase emergencial é fazer com que o índice de distanciamento social supere a marca de 50% e, portanto, seja verificada redução na circulação do novo coronavírus.
Região de Campinas tem regras mais rígidas
Municípios da região decidiram aplicar medidas mais restritivas do que as impostas pelo estado.
Em Campinas, por exemplo, um decreto desta sexta estabelece aval para acesso de apenas uma pessoa por família em estabelecimentos como mercados e padarias, e o drive-thru será exclusivo para o setor de alimentação. Além disso, as entradas da cidade terão barreiras sanitárias, em ação conjunta com outras 19 cidades da Região Metropolitana (RMC), para coibir “deslocamentos desnecessários”.
O avanço nas restrições inclui o fechamento de concessionárias e lojas de vendas de veículos, além do atendimento apenas em casos de urgência e emergência de clínicas veterinárias e pet shops, serviços de manutenção predial e assistência técnica de equipamentos. Confira aqui as novas regras.
Hortolândia
Hortolândia (SP) suspenderá a partir das 13h deste domingo (28) os atendimentos presencial e por drive-thru em supermercados, restaurantes e padarias. A medida segue até as 5h de segunda-feira (29). Neste intervalo de 16h, as vendas serão apenas por entrega (delivery).
Initial plugin text
Veja mais notícias da região no G1 Campinas.