Como o vinho chegou ao Brasil

Você sabe como o vinho chegou ao Brasil? Marco Antonio Carbonari, proprietário da vinícola Villa Santa Maria – localizada no Vale do Baú em São Paulo (SP) -, nos revela hoje um pouco sobre a trajetória dessa bebida tão amada, descubra:

Segundo Marco Antonio Carbonari, as primeiras videiras foram trazidas pela expedição colonizadora de Martim Afonso em 1532. O fundador da cidade de Santos,  Brás Cubas, foi o primeiro a cultivar vinhas em terras brasileiras, porém, a princípio, o clima tropical causou problemas à plantação, havendo demora um tempo até que de fato se estabelecessem.

Foi então que a vinícola de Tatuapé surgiu e Marco Antonio Carbonari conta que por mais que a bebida produzida ainda não fosse comparada às de barris de Portugal, agradavam muito ao paladar e era considerado um bom vinho para o dia-a-dia.

As videiras desbravaram as terras e com o cultivo dos índios e de mais outras uvas nativas, logo a bebida brasileira tornou-se uma das riquezas da região. Marco Antonio Carbonari revela que em 1640, a Câmara Brasileira de São Paulo passou a padronizar a qualidade e os valores dos vinhos produzidos, atestando os resultados do esforço de Brás Cubas.

Após altos e baixos (diversos deles) a bebida se estabeleceu e nos dias atuais, Marco Antonio Carbonari diz que o maior desafio da indústria se dá pelo fato do baixo consumo em comparação aos outros países.  No Brasil a média de consumo é de 2 litros por ano, sendo pouco mais de três garrafas de 750ml por pessoa anualmente.

Quer saber mais sobre a trajetória do vinho até os dias atuais? Marco Antonio Carbonari convida a todos para uma visita à vinícola Villa Santa Maria, onde você poderá degustar rótulos incríveis e de qualidade incomparável.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui